Loading

Notícias

image

Prefeito e autoridades inauguram o Museu Histórico de Jales “Armando Pereira da Silva”

A manhã da segunda-feira, dia 19 de julho, certamente entrará para a história de Jales. Foi inaugurado o Museu Histórico de Jales “Armando Pereira da Silva”, anexo ao Espaço Cultural Dr. José Carlos Guisso, no Centro de Jales. Participaram da solenidade o prefeito Luis Henrique Moreira e a primeira-dama Alziane Rossafa Moreira, a vice-prefeita Marynilda Cavenaghi, o secretário municipal de Esportes, Cultura e Juventude, Wilter Guerzoni, o artista Rui Rodrigues, os vereadores Bismark Kuwakino e João Zanetoni, o mantenedor da Unijales, Junior Soler, o vice-reitor da Unijales, Silvio Luiz Lofego, autoridades e familiares do homenageado com o nome do museu, representados pela filha Aparecida Cristina.
O espaço cultural, inaugurado em dezembro de 2002, já chegou a abrigar, informalmente, um Museu Histórico, desativado em março de 2011, para ceder espaço a uma exposição sobre a Segunda Guerra Mundial, em comemoração aos 100 anos da Imigração Japonesa, mas depois disso, nunca mais foi reaberto. Somente agora, dez anos mais tarde, foi criado o Museu Histórico de Jales por meio da Lei nº 5.174, de 07 de julho de 2021, que recebeu o nome Armando Pereira da Silva através do Decreto Municipal nº 8.598.
De acordo com o secretário Wilter Guerzoni, mais de quatrocentas peças foram catalogadas nos últimos seis meses pelos servidores Renato Bigotto e Marta Regina Robiati. Paralelamente a esse trabalho foi feita a limpeza, higienização e restauração de peças, pintura das vitrines que acomodam o acervo, manutenção do prédio, paisagismo, entre outras medidas que se fizerem necessárias.
Na sequência, o professor Rui Rodrigues, importante artista nas áreas da música, poesia, cartunismo, pintura e desenho, que teve o prazer de conviver com o homenageado, falou sobre a vida e trajetória de Armando Pereira da Silva e prestou homenagens interpretando a música “Funeral de um Lavrador”, de Chico Buarque, que remete à obra literária “Morte e Vida Severina”, escrita por João Cabral de Melo Neto, e que, segundo Rui, tem muita relação com a vinda dos pais de Armando, da Bahia para Minas Gerais e, posteriormente para o estado de São Paulo, sempre caminhando a pé, sofrendo com a fome, sede, sol e chuva.
Aparecida Cristina, filha do homenageado Armando Pereira da Silva, disse que “é uma satisfação e alegria estar aqui, neste local, que remete tanto à presença de meu pai. Agradeço ao prefeito Luis, a Marynilda, ao Wilter e a todos os envolvidos nesta homenagem. Não esperava por tanto. Se meu pai estivesse aqui ele estaria muito feliz. Quando era criança suas obras eram feitas em papel de padaria e sempre sonhava em ser lembrado e reconhecido. Hoje ele está sendo. Esse momento é único, obrigada a todos, de coração”. Ressaltou antes de receber uma cópia do Decreto Municipal que denominou o museu.
O prefeito Luis Henrique Moreira falou sobre a importância de resgatar e preservar a memória de Jales e de quem fez parte da história da cidade por meio da abertura do Museu, um dos cartões postais de Jales que hoje é Município de Interesse Turístico. “Prometemos que iríamos reabrir o Museu Histórico e hoje, depois de mais de dez anos, em menos de seis meses de nossa administração, estamos cumprindo. Em outubro do ano passado, estávamos andando pelas ruas da cidade e uma garotinha de apenas 10 anos, nos pediu para reabrir o museu. Hoje a pequena Valentina está aqui, feliz da vida, visitando as instalações e podendo conhecer parte da história da nossa cidade. É isso que queremos, proporcionar esse sentimento a todos os cidadãos de Jales e aos nossos visitantes. Quero agradecer ao secretário Wilter e a toda sua equipe por esse trabalho, árduo, porém recompensador e a todos que abraçaram a causa. Aproveito para agradecer publicamente o trabalho desenvolvido por todos os secretários municipais que, mesmo em tempos difíceis, com o enfrentamento da pandemia, têm feito do limão uma limonada”, finalizou.
O Centro Universitário de Jales- UNIJALES, também faz parte dessa história. É com muito orgulho que, hoje, contamos um pouco de nossa história na inauguração do Museu Histórico Municipal Armando Pereira da Silva, localizado no Espaço Cultural Dr. José Carlos Guisso. Por meio de fotografias, o Centro Universitário de Jales, através de um projeto do vice-reitor e coordenador do curso de História, o prof. Dr. Silvio Lofego, expôs o Painel Memória, que traz imagens desde a construção do edifício no qual fica as instalações da Unijales até a atual fase do local. O professor e fundador Oswaldo Soler fez história e contribuiu para a formação de inúmeras outras. Gratidão por estar, desde 1941, atuando em nossa querida Jales.
O Museu Histórico de Jales funciona de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30.

Desenvolvido por Tribo Propaganda